Gengibre

O gengibre (Zingiber officinale) é um dos condimentos mais usados atualmente no mundo. Ele faz parte da família de plantas onde se incluem o açafrão e cardamomo e este é um dos motivos pelo qual os benefícios para a saúde do gengibre são tão extraordinários.

O gengibre é rico em gingerol

Gengibre

O gengibre possui 115 componentes químicos diferentes, no entanto os seus benefícios terapêuticos provêm do gingerol: um composto bioativo responsável por muitas das suas propriedades medicinais. O gingerol tem um potente efeito anti-inflamatório e antioxidante.

Evita e trata as naúseas

GengibreEstudos demonstraram que o gengibre é altamente eficaz a controlar as náuseas.

Foi, ao longo dos tempos, usado para evitar o enjoo marítimo e existem provas que é tão eficaz como a medicação anti-enjoo.

O gengibre também pode ser usado para aliviar as náuseas e vômitos de pós-operatório e em doentes oncológicos que fazem quimioterapia. (1; 2)

Pode ser também uma das melhores formas de tratar os enjoos matinais relacionados com a gravidez. De acordo com um estudos efetuados em 1,278 mulheres grávidas, 1.1-1.5 gramas de gengibre conseguiram reduzir significativamente as náuseas.

É necessário ter em conta que embora o gengibre seja considerado seguro, é importante aconselhar-se com o seu médico caso esteja grávida.

 

Ajuda a combater as dores musculares

Gengibre
O gengibre é eficaz no combate às dores musculares causadas pelo exercício físico. Um estudo demonstrou que o consumo de 2 gramas de gengibre por dia, durante 11 dias, reduziu significativamente as dores musculares nas pessoas que tinham consumido gengibre relativamente às que tinham consumido um placebo.
O gengibre pode não ter um impacto imediato, mas é eficaz na redução da progressão da fadiga muscular. Acredita-se que estes efeitos provenham das propriedades anti-inflamatórias do gengibre.

 

O efeito anti-inflamatório pode ajudar a tratar a osteoartrite


A osteoartrite consiste na degeneração das articulações no corpo, provocando sintomas como dores e rigidez nas articulações.
Num ensaio médico de 247 pessoas com osteoartrite do joelho, aqueles que tomaram extrato de gengibre tiveram menos dor e exigiram menos medicação para dor.

O gengibre melhora a digestão

A indigestão crônica (dispepsia) é caracterizada por dor recorrente e desconforto na parte superior do estômago. Acredita-se que o atraso no esvaziamento do estômago é uma das causas da indigestão.
Tem sido demonstrado que o gengibre acelera o esvaziamento do estômago em pessoas com este problema. Num estudo concluiu-se que, depois de comer sopa, o gengibre reduziu o tempo que levou para o estômago para esvaziar de 16 para 12 minutos.

Noutro um estudo efetuado em 24 indivíduos saudáveis foram ingeridas 1,2 gramas de pó de gengibre antes de uma refeição e o esvaziamento do estômago acelerou em 50%.

Esta é a razão pela qual o gengibre ajuda as pessoas que se sentem inchadas, com prisão de ventre e que têm outras desordens gastrointestinais: o gengibre relaxa o músculo liso do revestimento intestinal e ajuda a mover alimentos ao longo de todo o sistema.

Desde a década de 1980 que os investigadores sabem que o gengibre pode curar úlceras de estômago. Mais recentemente, cientistas indianos foram capazes de quantificar de forma concreta este efeito medicinal. Em um estudo publicado na revista Molecular Nutrition and Food Research, descobriram que o gengibre era seis a oito vezes mais potente do que os medicamentos geralmente usados para tratar o refluxo gástrico.

 

O gengibre em pó ajuda a reduzir as dores menstruais

Gengibre


Um dos usos tradicionais do gengibre é para alívio da dor e isto inclui a dor menstrual.

Em um estudo 150 mulheres tomaram 1 grama de pó de gengibre por dia, durante os primeiros 3 dias do período menstrual. O gengibre conseguiu reduzir a dor tão eficazmente quanto o ácido mefenâmico e ibuprofeno.

 

O gengibre pode baixar os níveis de colesterol

Gengibre
Os altos níveis de LDL (o “mau” colesterol) são conhecidos por estarem ligados a um risco aumentado de doença cardíaca. No entanto os alimentos que você consome podem ter uma forte influência nos níveis de LDL.

Em um estudo de 45 dias de 85 indivíduos com colesterol alto, 3 gramas de pó de gengibre causaram uma redução significativa na maioria dos marcadores de colesterol.

Um estudo realizado em ratos mostrou que o extrato de gengibre baixou o colesterol LDL de forma semelhante ao medicamento atorvastatina.

Ambos os estudos também mostraram reduções no colesterol total e triglicerídeos no sangue.

 

O gengibre contém uma substância que pode ajudar a prevenir o câncer

Gengibre

O câncer é uma doença muito grave que é caracterizada por crescimento descontrolado de células anormais. O extrato de gengibre tem sido estudado como um tratamento alternativo para várias formas de câncer.

As propriedades anticancerígenas são atribuídas ao 6-gingerol, uma substância que é encontrada em grandes quantidades no gengibre cru. (3; 4)

Em um estudo com 30 pessoas, 2 gramas de extrato de gengibre por dia reduziram significativamente as moléculas de sinalização pró-inflamatória no cólon.

No entanto, um estudo de seguimento em indivíduos com alto risco de câncer de cólon não confirmou esses achados.

Existem algumas evidências, embora limitadas, de que o gengibre pode ser eficaz contra o câncer de pâncreas, câncer de mama e câncer de ovário, no entanto são necessários mais estudos que comprovem tais fatos. (5; 6; 7 )

O gengibre pode melhorar a função cerebral e proteger contra a doença de Alzheimer

O stress oxidativo e a inflamação crônica podem acelerar o processo de envelhecimento. Acredita-se que estes dois fatores estejam entre os principais impulsionadores da doença de Alzheimer e do declínio cognitivo relacionado à idade.

Alguns estudos em animais sugerem que os antioxidantes e compostos bioativos no gengibre podem inibir as respostas inflamatórias que ocorrem no cérebro.

Existem também algumas provas de que o gengibre pode melhorar a função cerebral diretamente. Em um estudo realizado em 60 mulheres de meia idade, o extrato de gengibre mostrou melhorar o tempo de reação e a memória.

Há também numerosos estudos em animais que mostram que o gengibre pode proteger contra o declínio relacionado com a idade na função cerebral.

O gengibre pode ajudar a combater infecções

O gingerol, a substância bioactiva do gengibre fresco, pode ajudar a diminuir o risco de infecções. Na verdade, o extrato de gengibre pode inibir o crescimento de muitos tipos diferentes de bactérias. (8; 9)

É reconhecidamente eficaz contra as bactérias orais ligadas a doenças inflamatórias nas gengivas, como gengivite e periodontite.

O gengibre fresco também pode ser eficaz contra o vírus sincicial respiratório, uma causa comum de infecções respiratórias.

O Journal of Microbiology and Antimicrobials publicou um estudo em 2011 que testou a capacidade do gengibre no reforço da função imunológica. Comparando a capacidade do gengibre para matar Staphylococcus aureus e Streptococcus pyogenes com antibióticos convencionais, os investigadores nigerianos descobriram que a solução natural teve sempre mais eficácia.

Os fármacos – cloranfenicol, ampicilina e tetraciclina – não conseguiam competir com a capacidade antibacteriana do extrato de gengibre. Estas duas bactérias são extremamente comuns em hospitais e podem, muitas vezes, causar complicações a um paciente que já tem o sistema imunológico comprometido.

A medicina Ayurvédica desde sempre elogiou a capacidade do gengibre de estimular o sistema imunológico. Acredita-se que devido ao fato do gengibre ser tão eficaz no aquecimento do corpo, ele pode ajudar a limpar as toxinas acumuladas. O gengibre é também conhecido pela sua capacidade de limpar o sistema linfático.

Derrames e doença cardíaca

Dois dos maiores assassinos do planeta podem ser prevenidos com a ajuda do consumo regular de gengibre, especialmente quando combinado com outros super alimentos chave. Alho, gengibre e cebola todos têm uma grande capacidade de anti-coagulação do sangue, sendo que quando são comidos juntos eles são um poderoso pilar contra ataques cardíacos e derrames.


Infeções fungais


As infecções fúngicas são atualmente cada vez mais difíceis de controlar, porque estão cada vez mais resistentes à medicina convencional. No entanto estas infecções não têm muitas chances contra o gengibre. Das 29 espécies de plantas avaliadas em um estudo da Universidade Carleton, o gengibre distinguiu-se por ter o extrato mais eficaz para eliminar fungos.

 

Contra-indicações e interações do gengibre

Porém, é necessário ressaltar a importância de não abusar no consumo do gengibre. Alguns estudos revelaram que a alta ingestão da raiz pode provocar aborto, aumento do fluxo menstrual, úlceras e gastrite, entre outras reações adversas.

Em geral, a planta é segura para a maioria das pessoas. No caso das gestantes, há controvérsias quanto ao seu consumo. Pessoas com hipertireoidismo (que já contam com metabolismo acelerado) não devem ingerir gengibre, sob o risco de aumentar ainda mais a perda de massa muscular.

Por isso, use com moderação o vegetal nativo da Ásia, aproveitado tanto na medicina quanto na culinária. Assim, você poderá usufruir sem medo todos os benefícios do Gingerol, demais substâncias e nutrientes. Na dúvida, consulte sempre seu médico!

0 Comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *